LIVROS

LIVROS
CLIQUE SOBRE UMA DAS IMAGENS ACIMA PARA ADQUIRIR O DICIONÁRIO DIRETAMENTE DA EDITORA. AVALIAÇÃO GOOGLE BOOKS: *****

sexta-feira, 29 de julho de 2011

LEGISLATIVO DE TATUÍ, CAPITAL DA MÚSICA

DÁ O TOM E O EXEMPLO
Câmara Municipal deverá contratar empresa especializada antes de unir leis afins
e revogar as obsoletas
(matéria de ‘O Progresso’ de 27 de julho, pág. 05)

Em entrevista ao jornal, o Presidente da Casa, Wladmir Saporito, informa que a Câmara deverá abrir licitação para estudo das leis municipais, “(...) assunto que requer o máximo de cuidado, por isso, provavelmente (...), deveremos contratar escritório especializado para avaliar a legislação”.

Ponto para a Câmara de Tatuí.


Ah, vale lembrar que esta postagem se refere à lei 12.497, do Deputado Cândido Vaccarezza (PT), de 2006, que 'extinguiu' o Conservatório de Tatuí; Veja postagens anteriores. Foi um descuido, um erro que a Câmara de Tatuí não quer permitir.

BLOG FAZ 3 MESES COM 5.413 ACESSOS

Média diária de visitas é 60

O UOL Blog, interrompido para mudança de endereço (Blogspot do Google), conferiu, no dia 26, às 17h, 3.878 acessos (abaixo)



Este ‘Blogspot’ do ‘Google’, que o sucedeu, alcançou 1613 visitas, no mesmo horário.




Fechamos estas postagens de hoje com 5.519 acessos, no total.

‘LEI ANTIDROGAS AUMENTA A POPULAÇÃO CARCERÁRIA’

Brasil: na contramão do mundo

O título (entre aspas) acima é de matéria de capa da ‘Folha’ de 25 de julho. Número de presos por tráfico aumentou 118% após a vigência da lei (2006). Tudo bem, mas antes de comemorarmos vamos interpretar os números (a matemática é uma disciplina absolutamente imprecisa, ela depende de nossa interpretação). Especialistas creditam esse aumento absurdo na conta da Lei, que vai completar 5 anos.

Hoje, o usuário pego com pequenas quantidades pode ser preso por tráfico, e a pena mínima para o traficante cresceu de 3 para 5 anos. No Rio de Janeiro, 64% (!!!) dos usuários presos por tráfico são réus primários, ou seja, nunca foram condenados. Não é bem o que se pode chamar de bandidos ‘de escola’.

Dra. Luciana Boiteux, professora de direito na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), insuspeita de conivência com bandidos, diz que essa “explosão é resultado da mudança de lei”. E que ficou comprovado que a maioria dos que vão presos são ‘bagrinhos’. O Dr. Marcelo Mayora, da UFRS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), afirma, categoricamente, que “do ponto de vista carcerário essa lei é um desastre”.

O Brasil copia pouca coisa boa, e muita coisa ruim. Mas, nesse caso da Lei ‘antidrogas’, é invencionice mesmo, sem que ao menos tivessem estudado aprofundadamente as experiências de outros países e ouvidos especialistas. Quem legisla sobre isso o faz ‘de orelhada’, como dizem os músicos. Os especialistas que fiquem reclamando em cartas para as redações de jornais. Pense no nome de 5 congressistas, rápido. Incrível, não, mas provavelmente no mínimo 4 deles você gravou o nome por polêmicas, ignorância ou desonestidade. E incapacidade de responder pela criação e modificação de nossas leis mais importantes. Você deve ter se esquecido dos bons nomes.

MINISTRO CELSO DE MELLO: A VANGUARDA DO STF

‘Ministro Celso de Mello reafirma direitos de casais gays e decide garantir pensão
por morte de companheiro’.
(Título de matéria do site Conjur.com.br)

Longe de ser defensor da causa gay, e menos ainda do estímulo à homoafetividade, como querem os mais moralistas, o Ministro tatuiano concedeu no STF a um parceiro de casal gay os mesmos direitos de quem os adquire na convivência heterossexual (casado ou não): a pensão e direito aos bens comuns adquiridos com o falecido. Na verdade, a prática da convivência entre pessoas do mesmo sexo é um fato, desde a antiguidade. Porém, ultimamente tem sido admitido sem pudores cada vez com maior frequência – quando deixou de ser tão ‘imoral’ (sic) assumir a condição ou, como gostam de dizer os gays em jargão próprio, ‘sair do armário’, caso do jornalista Marcelo Tas e da cantora Gretchen, que reconheceram a condição gay de seus filhos (para ódio de certo deputado que tem preconceito contra tudo que não é ele próprio - ‘Narciso acha feio o que não é espelho’). Na verdade, o Ministro interpretou a Constituição brasileira como jurista e baseou-se nela para fundamentar legalmente o relatório favorável ao direito pleiteado segundo sua consciência. A decisão agora servirá de jurisprudência para futuras demandas. Isso, sem entrar no mérito moral ou religioso de seu juízo particular, que não cabe em suas atribuições de Ministro da maior corte do país.

Independentemente da visão de cada um sobre a questão gay, cada vez mais, no mundo inteiro, há um caminhar no sentido da garantia aos cidadãos dos direitos dos homossexuais: pesquisa recente nos EUA – país onde muitos estados foram colonizados pelos puritanos, Quakers e outras ordens ultraconservadores – diz que maioria dos americanos é a favor da união civil entre pessoas do mesmo sexo, e, claramente, indo mais longe, do chamado ‘casamento gay’. O número de casamentos entre homoafetivos multiplicou-se recentemente nos estados norte-americanos em que a instituição é permitida – a maioria deles. No Brasil, o gay é cada vez mais tolerado nas ruas e no trabalho, mas ainda não há reflexos disso quando se trata de aceitar a legalidade da opção individual, quer a considere errada ou não.

Como disse uma vez um jurista: “são fatos, não palpites. O resto é mérito”. Há de chegar o dia em que ninguém vai ter a orelha arrancada com os dentes porque andava abraçado com seu filho, que os estúpidos ‘skinheads’ julgaram ser gays (aconteceu recentemente no interior paulista). Meu filho mais velho tem 1,92m, e quando ele está no Brasil volta e meia nos abraçamos. Será que posso ser vítima de um desses fanáticos? É daí que surgem os Anders Breivik (autor dos assassinatos em massa na Noruega) da vida. Os ‘Narcisos’ enraivecidos contra tudo e todos que não sejam eles próprios, à sua inútil e fútil imagem e semelhança.

Leia a matéria (sobre o voto do Ministro Celso de Mello) em:



VILLA-LOBOS, NOVO HERÓI DA PÁTRIA

Com a devida justiça, nome de um
patrimônio musical brasileiro
é inscrito no Livro dos Heróis da Pátria

O grande compositor Carioca Heitor Villa-Lobos (1887-1959), autor de centenas de obras, muitas delas executadas no mundo inteiro (“Choros”, “Bachianas Brasileiras”, “Uirapuru”, etc.), teve seu nome inscrito como ‘Herói da Pátria’ na terça-feira, dia 26 de julho de 2011, com a sanção da Lei 12.455, decretada pelo Congresso Nacional e sancionada pela Presidente da República.

O homem dos charutos, piadista, ‘coringa’ que conseguiu conjugar boemia, sinuca, rodas de choro com música clássica do mais alto nível – sendo quase autodidata em composição -, autor, entre inúmeras obras-primas, de “O trenzinho do caipira” (composta no trem da antiga ferrovia Sorocabana, passeando pela região do médio Tietê), é o maior nome da música brasileira de todos os tempos e gêneros.

Jamais os brasileiros (sinto-me aí incluído) terão a dimensão exata da contribuição que Villa-Lobos deu para o mundo. Os séculos dirão. Enfim, uma lei oportuna e notável!

Foto: domínio público

AMY WINEHOUSE

(AMY ‘CASA DO VINHO’, em tradução literal)
A pedido de amigo, sobre a ‘síndrome dos 27 anos’

Um amigo reclamou por eu não ter dado espaço para a AMY, falecida nesses dias. Mas havia decidido consagrar todas as postagens à Lei de ‘extinção’ do Conservatório (12.497/2006), assunto da maior relevância para a música brasileira (ver postagens passadas).

Mas aqui vai, amigo fã da Amy:

Winehouse morreu na esteira da famosa faixa dos 27 anos dos roqueiros e jazzistas drogados. Foram, para dizer no rock, apenas, Jimi Hendrix, Jim Morrison (The Doors), Janis Joplin, Kurt Cobain (Nirvana), além de Kristen Pfaff (Hole), Rudy Lewis (Drifters), Alan Wilson (Canned Heat), Gary Thain (Uriah Heep) e Pigpen (Grateful Dead).

Teorias? Arrisco a minha: com excesso de álcool e drogas pesadas, o sujeito, aos 27, tem um chance de risco de morte prematura muito além da média. Supondo que o grande abuso começou na idade mais tenra, aos 20, ele chega aos 27 em uma fase decisiva: ou para, ou morre. Muitos, como Eric Clapton e Jagger, pararam, e sobreviveram. Outros demoraram mais: Keith Richards e Ron Wood (Stones), que demoraram, mas estão aí. (Richards diz que ele próprio é um ‘desafio à medicina’, e que ninguém neste mundo deve ter ingerido tanta droga e álcool como ele).

Amy é um mito abortado na plenitude, e morreu na decadência dos vexames constantes, e não sua plenitude. Mas fica sua arte. Veja em:


Poderia fazer um resumo das coisas lindas que Amy fez. Porém, é melhor ser educativo agora, neste momento, e divulgar a boa música de Amy depois, quando o impacto e a exploração comercial do mito já estiver arrefecida.





CRIANÇAS MUSICISTAS: A VEZ DO ROCK’N’ROLL

Menino de 7 anos ‘segura’ bateria
como gente grande

Menino tem absoluta noção de tempo, ‘upbeats’, viradas, ‘rolls’, ‘crashes’ , polirritmia e outras técnicas de músico formado que você, não músico, não tem obrigação de conhecer. Mais jovem profissional do instrumento no mundo, Julian começou a carreira aos cinco anos de idade!

Na esteira de Jonathan, o ‘maestro’ aos 5 anos, Julian Pavone demonstra além disso domínio do bumbo, do pedal duplo e da condução. Mais uma vez, se você não sabe o que é isso tudo, não importa, apenas veja, ouça e curta!


 


domingo, 24 de julho de 2011

REVOGAÇÃO DA LEI

O CONSERVATÓRIO CUJA LEI DE CRIAÇÃO
FOI REVOGADA E CONTINUOU FUNCIONANDO
Lei de 2006 deixou o Conservatório de Tatuí
no ‘limbo virtual’ por cinco anos

Por acaso, ao analisar documentação enviada à Polícia Federal para concessão e regularização de vistos para alunos estrangeiros, resolvi dar uma busca na legislação da entidade, como tenho feito volta e meia para conhecer-lhe melhor a história. Ao entrar no ‘site’ da Assembleia Legislativa de São Paulo, uma desagradável surpresa: a Lei Estadual 997, de 13 de abril de 1951 (de autoria do Deputado Narciso Pieroni), que criava o Conservatório na cidade de Tatuí, havia sido revogada pela Lei 12.497, de 26 de dezembro de 2006, proposta pela bancada do PT (Partido dos Trabalhadores), que de uma canetada só cancelou o que, no site do Deputado Cândido Vaccarezza, seu autor (ver abaixo, com grifos), considerava leis “ultrapassadas, não tinham mais efeito prático na realidade dos cidadãos”. O Projeto de Lei foi proposto pelo então Deputado Estadual Vaccareza e aprovado, ‘no escuro’, ‘a toque de caixa’. Sem maiores detalhes ou explicações, a Lei do Conservatório sucumbiu no meio de uma esteira de leis ditas ‘ultrapassadas’.

Ora, vamos lá. Não deve ter sido de caso pensado, ninguém faria isso, mas foi o maior atentado contra o Conservatório nos 60 anos de criação por Lei e 57 de instalação na cidade. Fazê-lo propositalmente não faz sentido, seria um de absurdo atroz. Por outro lado, se foi ‘por descuido’, mostra o que pode a falta de atenção no trato com a coisa pública: destruir legalmente uma escola de música modelo, um marco e símbolo da cidade, da região e do país. Quem vai explicar?

DOCUMENTAÇÃO SOBRE A ‘EXTINÇÃO’

DOCUMENTAÇÃO SOBRE A ‘EXTINÇÃO’
Principais documentos, abaixo

Lei 997, de 13/04/1951
Situação atual: revogada (ver abaixo, em “Situação atual”)

ALESP - Secretaria Geral Parlamentar
Lei n° 997, de 13/04/1951
Versão para impressão
Ementa
CRIA UM CONSERVATÓRIO DRAMÁTICO E MUSICAL NA CIDADE DE TATUÍ.
Projeto - AutorPromulgação
PL 1556/1950 - Amadeu Narciso Pieroni -
FonteRepublicação
DOE -I 17/04/1951 -
Situação Atual

Revogado(a) - pela Lei nº 12.497, de 26/12/2006
Alterações

 
       

JUSTIFICATIVA DE VACCAREZZA





Justificativa para a revogação conjunta de Leis (site do Deputado Cândido Vaccarezza)

REVOGAÇÕES
Leis 12241, 12242, 12243, 12244, 12245, 12246 e 12247, 12392, 12405, 12407, 12409, 12470, 12497, 12248, 12548 e Lei Complementar 1004 (obs.: grifo meu)
Aprovados em 2006, os projetos do deputado Vaccarezza revogaram cerca de 13 mil leis e decretos-lei, criados no período de 1891 a 1972, que estavam ultrapassadas, não tinham mais efeito prático na realidade do cidadão ou não se adequavam à Constituição Federal promulgada em 1988. (Grifos meus)

A ORGANIZAÇÃO SOCIAL

A ORGANIZAÇÃO SOCIAL E A
SALVAGUARDA DA INSTITUIÇÃO
Modelo de gestão adotado pelo Conservatório e pela OSESP manteve a escola em funcionamento

O instituto das organizações sociais, autorizadas por lei em 1998 e contestadas por entidades encabeçadas pelo PT no Supremo (STF, ADI 1923), foi, ironicamente, o que salvou o Conservatório da Lei de Vaccarezza. A ‘ferro e fogo’, o Conservatório, uma vez extinto legalmente, teria deixado de ser unidade da administração direta, no sistema antigo, e poderia sofrer as consequências reais de sua extinção diretamente, na carne. Um colapso. Os contratos de gestão celebrados entre a AACT (Organização Social) e o Governo, desde o início de 2006, foram a ‘tábua da salvação’ para o Conservatório, viabilizando o repasse de verbas para salários e despesas normalmente, e mantendo a administração de todas as atividades regularmente. Se estivéssemos ainda na administração direta, sob regimes de trabalho frágeis, todos estariam na rua e os trabalhos paralisados logo no dia seguinte. Não haveria como repassar verba para uma unidade administrativa inexistente.

Com a Organização Social (AACT), todos os contratos foram mantidos, passando ela a ser a pessoa jurídica a responder pela entidade. Todos os contratos avençados pela AACT foram cumpridos, e, a despeito do fato de o ocorrido somente ter sido descoberto recentemente, tudo transcorreu na mais completa normalidade, sem qualquer percalço. O que impressiona é o fato de ter havido a revogação da Lei e... ninguém ter notado até que eu o fizesse por simples ato de curiosidade sobre a legislação, mania já antiga. Ou será que alguém sabia?

Ministro Ayres Britto, relator da ADIN 1923
Proposta pelo PT contra as Organizações Sociais
Relatório: favorável por 9 votos pelas OS, até agora, entre 11 no total
Foto: STF

A PALAVRA PRESA NA GARGANTA

A PALAVRA PRESA NA GARGANTA
(E A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR)
Se não houver explicação, a dúvida persistirá para sempre
Reflitamos todos sobre as poucas certezas

Foi difícil manter o segredo. Pouco mais de meia dúzia de pessoas – incluindo o Prefeito Gonzaga – comungaram comigo de assunto de segurança extrema para o Conservatório, a revogação da Lei 997, que o criou. Foi difícil, estressante e uma prova de força para nós, trabalhando e aguardando o desfecho favorável que agora está preparado e deve acontecer em breve. Resta esperar que, compreendendo o gravíssimo equívoco, a Assembleia vote por unanimidade pelo restabelecimento da Lei. Iremos lá no dia. Contabilizaremos os votos.

Foto: al.sp.gov.br

OS GRANDES ARTÍFICES

OS GRANDES ARTÍFICES DA
‘RECRIAÇÃO’ DO CONSERVATÓRIO
A história da entidade e de Tatuí há de fazer
justiça e determinar os méritos

O Prefeito Gonzaga, a quem  procurei quando constatei o fato da revogação da Lei 997, foi quem iniciou de pronto, quando o comuniquei sobre o fato, as negociações com o autor do Projeto de Lei que vai reviver a legalidade do Conservatório. O Deputado Samuel Moreira, autor do Projeto de restabelecimento, foi o autor da medida e nosso contato permanente. Esses nomes não poderão ser esquecidos nunca. São história.

Quando procurei o Prefeito Gonzaga, mostrando-lhe os documentos, sua reação foi imediata: ligou na hora para o Deputado Moreira, líder do Governo na Assembleia, que teria como intervir no assunto, como de fato o fez. Esse jogo de bastidores, incluindo a paciência do assessor do Deputado Moreira, Sr. Calil, foi um teste para todos. E com o acompanhamento da Secretaria de Estado da Cultura, na pessoa do Secretário Adjunto Luís Sobral.

Foto: site do Deputado Samuel Moreira


Traçando um paralelo musical, quando o concerto (ou ‘show’) é apresentado, o público não vê quanto foi consumido em horas de trabalho árduo, ensaios, produção, estudos, etc. Com essa Lei foi algo parecido. No dia 3, quando estive com o Governador Alckmin em almoço em Campos de Jordão, o assunto foi ventilado particularmente e houve a promessa de que, logo após o final do recesso parlamentar, o assunto tomaria seu rumo com celeridade. Já está em pauta de primeira sessão (ver abaixo). E, claro, será renovado o convite para que o Governador sancione a Lei de Samuel Moreira em grande estilo aqui, em Tatuí!

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO, 29 DE JUNHO DE 2006, CADERNO LEGISLATIVO, PÁG. 26

PROJETO DE LEI Nº 654, DE 2011
Restabelece a vigência do diploma legal que especifica.
A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO
DECRETA:
Artigo 1º - Fica restabelecida a vigência da Lei nº 997, de 13
de abril de 1951, que criou o Conservatório Dramático e Musical
de Tatuí e suas respectivas alterações posteriores:
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação,
retroagindo seus efeitos a 26 de dezembro de 2006.
JUSTIFICATIVA
Criado por lei estadual em 13 de abril de 1951, de autoria
do Deputado Amadeu Narciso Pieroni e fundado oficialmente
em 11 de agosto de 1954, o Conservatório Dramático e Musical
“Dr. Carlos de Campos” de Tatuí representa uma das mais sérias
e bem sucedidas ações no setor cultural no Estado de São Paulo.
Mantido pelo Governo de São Paulo e Secretaria de Estado
da Cultura, o Conservatório de Tatuí é administrado pela Associação
de Amigos do Conservatório de Tatuí.
Reconhecido centro de excelência de ensino de música, luteria
e artes cênicas, concentra estudantes de São Paulo, de outros
20 Estados brasileiros e de países da América Latina.
Com mais de 55 anos de formação e difusão cultural, uma
das mais respeitadas escolas de música da América Latina
cumpre a missão de formar instrumentistas, cantores, atores e
luthiers de prestígio internacional
Nesse cenário, o § 2º do Art. 11 da Lei Complementar nº
863, de 29 de dezembro de 1999, com a redação dada pela Lei
Complementar nº 944, de 26 de junho de 2003, ao estatuir sobre
o procedimento de consolidação da legislação paulista, oportunamente
abriu a possibilidade de sua realização também por
meio da revogação em bloco da legislação de vigência temporária
e das que esgotaram o seu objeto, mas que não foram alvo de
revogação expressa.
Assim sendo, a Lei 12.497, de 26 de dezembro de 2006
revogou os diplomas legais compreendidos no período de 1947 a
1952, abarcando, também, a lei que criou o Conservatório.
Como essa entidade permanece integrada à estrutura administrativa
do Estado e estando em pleno funcionamento, é
imprescindível que os atos que originaram a sua instituição
permaneçam íntegros e aptos a produzir efeitos permanentes no
que tange à sua configuração institucional.
Nesse sentido, faz-se necessária a apresentação do presente
projeto do lei.
Sala das Sessões, em 21/6/2011
a)    Samuel Moreira – PSDB

POR QUE VAI SER POR UNANIMIDADE

POR QUE VAI SER POR UNANIMIDADE
Globo coloca Conservatório ao lado da
Sala São Paulo e do Festival de Campos de Jordão

Dedicando-lhe amplo espaço no programa Antena Paulista de 24 de julho (domingo):


As ações solidificam as instituições, e não os indivíduos.

PER ARDVUA SVRREXI

‘PER ARDVA SVRREXI’
Inscrição latina no brasão de Tatuí significa:
‘Reergui-me por trabalho árduo’


Amen.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

A MAIS IMPORTANTE MATÉRIA

 SOBRE O CONSERVATÓRIO
DESDE A FUNDAÇÃO
‘O Progresso’ publica, neste sábado,
matéria sobre assunto da maior relevância

Leiam em 23 de junho a matéria de ‘O Progresso’ sobre assunto da maior importância para o Conservatório de Tatuí desde sua fundação. Na segunda-feira, dia 25 de julho, comento neste blog e forneço mais informações e meu ponto de vista. Leia jornal impresso!

Foto: Secretaria de Estado da Cultura. Teatro Procópio Ferreira


EDSON BELTRAMI É SOLISTA
EM CONCERTO DE SUA AUTORIA

O flautista Edson Beltrami toca concerto para flauta de sua autoria à frente da Banda Sinfônica do VII Curso de Férias de Inverno do Conservatório de Tatuí. A apresentação acontece neste sábado, dia 23 de julho, às 20h30, no Teatro Procópio Ferreira, em Tatuí. O concerto terá a regência de Marcelo Jardim.



TALENTO PARA SE VER UMA SÓ VEZ

Jovem toca ‘guitarra de boca’ e surpreende

O blog Malgusto.com postou essa pérola. O talento é surpreendente, especialmente quando a ‘guitarra-de-voz’ troca solos com a guitarra de verdade. O impressionante são os agudos rasgados, o som de distorção e pedais, o vibrato (vibração que faz a altura do som oscilar) na garganta sentir pelos dedos, o sentido melódico.



Claro, é para se ver uma vez apenas. Ou duas. Mas, sendo tão diferente, vale a pena. Inédito não vale dizer, em música, quase tudo já foi feito do ‘ruído branco’ (mistura de todos os sons), ao silêncio total (a obra 4’33, de John Cage).

Existe a “air guitar”, quando o sujeito finge que toca guitarra, com playback da música atrás, à vezes quase nos convencendo de que há mesmo uma guitarra que não dá para ver. Mas a ‘guitarra-de-voz abaixo já é arte mesmo, só que de vida curta (O sujeito vive seus 15 minutos de fama e felicidade): “A felicidade é como a gota de orvalho / numa pétala de flor / brilha tranquila, depois de leve oscila / e cai como uma lágrima de amor” (Tom e Vinicius, claro).

O LADO OBSCURO DA SOJA

Revista 'Business' (businessweek.com) publica matéria sobre os benefícios e malefícios da soja

A soja tem propriedades benéficas na redução do mau colesterol (LDL), e supostamente ajudaria no tratamento de doenças como câncer na próstata e osteoporose. Alerta, logo, para o perigo de alguns os suplementos (barras de soja, etc.) que contêm isoflavona, que se comporta como forma ‘light’ do hormônio estrogênio.

Mais ainda, afetaria o crescimento de crianças, o funcionamento regular do pâncreas e a fertilidade. Tudo isso ainda é objeto de discussão, mas quando li sobre a alta incidência da IBS (“síndrome do intestino irritável), descobri o porquê de uma dor frequente: troquei o leite de soja pelo desnatado, e passei a tomar lactobacilos (leite fermentado como o Yakult, Activis, Danone e outros) em jejum. Bingo!

A quantidade de calorias do leite de soja me surpreendeu: 228 Kcal para um copo de 200 ml contra as 72 Kcal do leite semidesnatado.


TRÁFICO E PALHAÇADA

Traficantes atravessam a fronteira com meia tonelada de maconha e fazem troça da fiscalização

É o cúmulo. Alguns traficantes em uma van atravessaram a fronteira do Paraguai rumo ao Brasil sem serem incomodados. Até aí, parece corriqueiro, a inépcia do policiamento da fronteira - se não tivessem filmado tudo com uma câmera de vídeo  (a satisfação pela impunidade do crime é objeto de vaidade do bandido, ou seja: a ‘inteligência do mal’ a superar a ‘incompetência do bem’. Há os que deixam pistas de propósito, como os grandes ‘serial killers’ da história. Até aí, não deve ser fato inédito essa gravação.

O absurdo se deve ao fato de os criminosos fazerem troça da polícia de fronteira dos dois países e do Exército Brasileiro, filmando através do para-brisa ‘insufilmado’, cantando como crianças ‘mais uma tonelada, mais uma tonelada’, e outras idiotices. Passaram com tudo.

Veja o vídeo (abaixo), mas informo que os créditos pela autoria da filmagem não posso divulgar: os traficantes cruzaram a fronteira, mas foram presos mais adiante, em uma barreira. Devem cumprir pena de 5 a 15 anos (Art 33 do CP). Ver em UOL Notícias/vídeo:


segunda-feira, 18 de julho de 2011

MÚSICA PERDE OSVALDO LACERDA

Faleceu nesta segunda o compositor
e professor de gerações

Logo pela manhã do dia 18 de julho, recebi a triste notícia da secretária, Sra. Rosana. Osvaldo já estava bastante doente, e sofrendo. A esposa, a pianista Eudóxia de Barros – que se apresentará em breve no Conservatório -, conformou-se diante do quadro irreversível em que seu querido marido estava. O velório está acontecendo no Cemitério do Araçá, hoje, dia 18, segunda (R. Dr. Arnaldo, 300), e o enterro será amanhã, terça, saindo às 9h para o Cemitério da Consolação (R. da Consolação, 1660).

Tive a honra de dirigir a Escola Municipal de Música de São Paulo quando Osvaldo ainda era professor. Infelizmente, não trago em meu currículo o título de aluno do compositor, talvez o último ícone da música nacionalista brasileira. Mas gerações de músicos podem se orgulhar de terem com ele aprendido Teoria, Análise, Harmonia e Contraponto.

Ainda guardo entre minhas coisas os muitos bilhetinhos que ele mandava, assim como, com muito carinho, a peça “Chacona para contrabaixo”, a mim dedicada no original, e que foi estreada pela tatuiana Ana Valéria Poles, excelente instrumentista.

Osvaldo deixa uma obra, uma carreira e uma honestidade e caráter modelares. Saudade.

Eudóxia e o saudoso Osvaldo Lacerda

Telegrama enviado:
Prezada Eudóxia,
Neste momento, pouco podemos dizer, não somos donos do destino, nada há
que mudar. Há, apenas, a imensa saudade e a imagem, que viverá sempre, de
um lutador, um marco na música brasileira, seu incansável divulgador. Antonio
me representará e a todo o Conservatório, em retribuição a tudo o que ele fez
pela música brasileira e o que ele, cada vez mais, passará a significar em
nossos corações. Que Deus lhe dê a paz.


FRANS KRAJCBERG E O ASSALTO

Artista plástico polonês/brasileiro
tem residência na Bahia invadida

Casa do artista em Nova Viçosa, sul da Bahia, foi invadida, e levaram um aparelho de DVD, uma antena parabólica, um celular e uma câmera fotográfica. Deixaram o resto.

Há uns muitos anos, a casa de meus pais, que cultivaram amizade com o próprio Krajcberg, Volpi, Guignard, Weissman e outros artistas, foi invadida. Havia várias obras desses artistas. Mas levaram somente fitas cassete, cobertores, talheres... e deixaram nas paredes belas obras de arte.

Ladrão burro leva aparelhos eletrônicos. Ladrão inteligente se muda para Brasília.

Eu, se fosse bandido, levaria apenas uma esculturazinha só do Krajcberg...

Espaço Frans Krajcberg, em Curitiba


JONATHAN, MENINO PRODÍGIO, REGE STRAUSS

Garoto de 4 anos de idade anda a passos largos

Agora mais seguro no palco, mais decidido, ele mostra que sabe utilizar a mão esquerda nas entradas (locais na partitura em que o solista ou o naipe de violinos, p.ex., deve entrar ou tocar com destaque). Também, a batuta parece mais ágil, com alguns volteios cá e lá para bordar melhor o fio melódico. Já experimenta alguns eficentes ‘levari’ (preparação de ataque ou tempo forte). A segurança aumenta: se antes era uma brincadeira sobre o colchão, e depois (veja na postagem anterior “Jonathan: menino prodígio, maestro”) ainda deixava demonstrar um certo nervosismo ao chegar ao palco, agora parece-lhe tudo natural.

Jonathan vai adquirindo repertório, e desta vez faz uma leitura bastante pessoal da Polca de Strauss “Relâmpago e tempestade, descendo a montanha” (trad. livre do alemão “Gewitter und Sturm, Absteig"). A batuta é ágil, e a sensação de controle é impressionante.

A continuar assim, aos 14 Jonathan Okseniuk vai ser um adolescente com repertório de maestro experiente. Vamos continuar acompanhando. Veja aqui:


CONTRIBUIÇÃO DE GAYS NA CALIFÓRNIA
Governador Jerry Brown sanciona Lei

Conforme já noticiado aqui, o Senado da Califórnia aprovou lei que determina que as contribuições de gays sejam incluídas nos material escolar das escolas públicas. Agora, com a sanção da Lei pelo Governador Jerry Brown, o assunto é oficial.

Obviamente, com a rejeição dos setores mais tradicionais e conservadores, a Lei será implantada em breve.

Talvez não fosse preciso uma lei se a homofobia estivesse controlada. Não interessa a opção sexual de uma personalidade – homem ou mulher, e agora gay – em qualquer atividade: John Brown ou Susan Smith, seja qual for a opção. Porém, na sempre revolucionária Califórnia, tudo é possível.

Desde o mais longínquo passado, gays contribuíram enormemente para a história. Veja Tchaikovsky, cuja homossexualidade era criminosa nos tempos da Rússia czarista, Moussorgsky, a escritora George Sand (aliás, Aurore Lupin, amante fortuita de Chopin que se vestia de homem e fumava charutos), o machão (só no cinema) Rock Hudson, o melhor Prefeito de N. York, Rudolph Giuliani, e inúmeros outros.

Não sei se seria necessário anunciá-los gays e mostrar suas contribuições, mas na Califórnia tudo é possível.

Moussorgsky, compositor russo do Séc 19
Como Tchaikovsky, opção foi ocultada
por muito tempo