LIVROS

LIVROS
CLIQUE SOBRE UMA DAS IMAGENS ACIMA PARA ADQUIRIR O DICIONÁRIO DIRETAMENTE DA EDITORA. AVALIAÇÃO GOOGLE BOOKS: *****

domingo, 23 de setembro de 2012

III – HORA DE ALMOÇAR! “TAKE FIVE” E “CHICLETE COM BANANA”!


Hora do almoço, no caminho talvez mais alguns compassos quebrados do Take Five do Dave Brubeck, o ar condicionado ligado, pois os alto-falantes da campanha eleitoral passam zonzeando como abelhas pela cidade. Em casa, almoçando, o precioso silêncio, pitadas de conversa. Na volta, relaxando, alguma coisa bonita como o primeiro movimento do Concerto para Violoncelo de Elgar - claro, com a insuperável Jacqueline Du Pré. No trabalho, alguma pesquisa no Youtube, essa ferramenta maravilhosa da Internet às vezes necessária, mesmo que com prejuízo da qualidade do som. Na Rádio Cultura FM, ouço às 11h das terças minhas entrevistas com músicos como Emmanuele Baldini e Pedro Gadelha, violino e contrabaixo solistas da OSESP, Renato Bandel, um violista que é sinônimo de excelência no país, e André Micheletti, violoncelista da última geração que considero uma grande promessa de solista de ponta no Brasil. E toma música. Veja e ouça abaixo o Dave Brubeck Quartet tocando “Take Five”, em uma lendária gravação de 1964:

Big Band do Conservatório de Tatuí - foto: Kazuo Watanabe
Enfim, voltemos à rotina do Conservatório. Vou ao banheiro, e para isso tenho de passar pela sala dos técnicos, de onde eles operam spots e a mesa de som responsável pela distribuição e mixagem de microfones e captadores. A Big Band do Conservatório de Tatuí ensaia um belo standard, e por alguns minutos me deixo cativar por uma inspirada improvisação ao piano de um excelente aluno, aliás, um verdadeiro profissional chamado Oscar Alejandro. (Explicando: standards, em inglês, são as músicas consagradas do jazz). O jovem Oscar improvisou um chorus com um suingue que só os latinos sabem levar. (Chorus, voltando ao dicionário, é a estrutura harmônica - sequência de acordes, para simplificar -  de um tema qualquer, sobre a qual o músico improvisa). Mais um pouco, e a Big Band ataca “Estamos Aí”, samba corrido com jeito de bebop do grande gaitista Maurício Einhorn, belo convite a improvisos rápidos. (Jackson do Pandeiro gravou um samba-xote corrido com jeito de bebop, “Chiclete com Banana”, de Gordurinha e Almira Castilho: “Só ponho bebop no meu samba /quando o Tio Sam pegar no tamborim / quando ele pegar no pandeiro / quando ele entender / que o samba não é rumba / aí, eu vou misturar / Miami com Copacabana / chicletes eu misturo com banana / e o meu samba vai ficar assim”). Veja e ouça abaixo Jackson do Pandeiro cantando “Chiclete com Banana”, de Gordurinha e Almira Castilho:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.